Tag: saúde

Suicídio: precisamos falar sobre o assunto

Todo mundo conhece um caso de suicídio ou tentativa de suicídio ao seu redor: pode ser na família, na família da esposa, no trabalho, no condomínio onde mora. Acontece bastante, infelizmente, e poucas pessoas sentem-se à vontade para falar sobre isso ou mesmo reconhecer que isso existe. É o típico “tema que não se deve tocar”. E muitas pessoas quando resolvem tocar no assunto não compreendem bem a delicadeza e o cuidado que o tema deveria receber ao ser abordado. Veja abaixo alguns cuidados:

1) Evite fazer piadas sobre o assunto. Embora as redes sociais estejam cheias de piadas e comentários diversos, evite tratar de forma pouco séria um assunto que causa tanta tristeza e transtorno aos familiares dos suicidas.

2) Não tenha medo de falar sobre o assunto. Aquela sua tia distante se suicidou há alguns anos mas você tem vergonha/medo de tocar no assunto. Não tenha. Trate o assunto de forma séria e humana e fale sim sobre ele. Todos passam por alguma situação parecida, não é “pecado” ou “crime” falar sobre isso ou reconhecer que existe o suicídio. Se mais pessoas falassem sobre isso possivelmente os casos de suicídios seriam menos ignorados, haveria mais preocupação pública e privada em ajudar a tratar as pessoas (e talvez evitar mais mortes).

3) Evite, evite, evite julgar. Evite julgamentos. Falar: “Mas gente, a vida é tão bonita, como alguém pode fazer algo tão horrível e egoísta?” “Aaah, mas um cara desses tinha que morrer mesmo”. “Ah, quer se matar? Então se mata logo e não enche o saco!” “Pô, mas não entendo como ele se matou tendo filhos!” “Não dá para aceitar um cara que se mata sendo tão rico e talentoso!!”. Ninguém tem ideia do que a pessoa passou ou estava passando. Você não sabe se a pessoa tinha doença crônica degenerativa, depressão, transtorno bipolar, ou qualquer transtorno de personalidade. Você não sabe se a pessoa foi estuprada, se era abusada pelo pai, se apanhava do marido, se era infeliz na carreira. Você não sabe nada da vida daquela pessoa e quer julgar, resolver o problema dela de uma forma simplista? Que tal exercitar o não julgamento, a empatia e a compreensão?

4) Se você é profissional da saúde ou de ensino, tome cuidado REDOBRADO. Se você decidiu seguir uma profissão que “cuida de pessoas” ou “forma pessoas”, além de coragem e vontade, você tem uma responsabilidade muito grande. As pessoas são muito influenciadas pelas palavras dos médicos, psicólogos, professores. O mundo precisa de profissionais cuidadosos.

5) Não use sua religião ou espiritualidade como parâmetro para todos. Existem diferentes entendimentos religiosos/espirituais sobre a morte, a vida e o suicídio. Como você não sabe quais são as crenças das outras pessoas, evite usar as suas como verdade/ponto de referência. Lembre-se que não é possível impor nossas crenças. Daí entra a empatia de novo, o não-julgamento e a vontade de compreender o mundo do outro. Pode ser que seu filho ou seu paciente tenham outra visão de mundo, totalmente diferente. É importante lidar com isso.

 

 

 

Anúncios

Coletor menstrual: já comprou o seu?

menstrual-cups-pic

O “não acredito” da vez é o coletor menstrual: não acredito que só conheci em 2015! Os primeiros foram feitos na década de 30 do século XX. Agora, para nossa felicidade, os coletores estão mais em alta (viva!).

Os coletores têm tantas vantagens que chega a ser sem sentido usar outra coisa hoje em dia. Vejam só:

  • muito mais econômico: um coletor pode ser usado por 5 anos ou mais, evitando a compra de pacotes infinitos de absorventes
  • pró meio ambiente: evita o descarte de toneladas de absorventes descartáveis mensalmente no meio ambiente, além do papel higiênico para enrolar o absorvente, ou saquinhos próprios
  • muito mais higiênico: o coletor não deixa cheiro nenhum, como acontece com os absorventes
  • mais prático: você pode carregar pra lá e pra cá em viagens, é pequeno, você pode praticar atividades físicas e usar até 12h
  • mais saudável: evita alergias e alterações na flora natural da vagina, não absorve a umidade natural, não causa irritações, não causa a síndrome do choque tóxico

Mas como nem tudo são flores, há alguns obstáculos/pontos fracos a serem vencidos:

  • é preciso ter paciência para aprender a usar corretamente nas primeiras vezes
  • algumas mulheres ainda têm receio de mexer no próprio corpo
  • é indicado higienizar o coletor com água e sabão nas trocas, o que requer tempo extra no banheiro, e também é indicado esterilizar o coletor a cada mês
  • algumas pessoas têm medo de perder a virgindade ou aprenderam que é “inapropriado” tocar no seu corpo

Bom, eu só vejo vantagens! Espero que mais mulheres se animem a conhecer e usar os coletores.

9547774864aeb7ad1abee958a0271b98

Vamos falar sobre Vitamina D

468376

Você sabia que grande parte da população mundial tem deficiência de vitamina D no organismo? Os números são tão altos que alguns médicos e pesquisadores falam em “epidemia”.

Por que a deficiência de vitamina D virou um problema de saúde mundial nos últimos 50 anos?

  • Aumento da população nas grandes cidades
  • Confinamento dentro das casas, escritórios e carros
  • Medo de exposição a crimes, poluição e sol
  • Excesso de tempo na frente da televisão, computadores, videogames
  • Maior ênfase na estética (preocupação com envelhecimento)
  • Influência da indústria cosmética, que busca aumentar as vendas de protetores solares e cosméticos
  • Falta de informação da população

Por que a Vitamina D é indispensável para a saúde?

  • é essencial para a formação dos ossos e dentes
  • é necessária para a absorção de outros nutrientes (como o cálcio, por exemplo)
  • ajuda a diminuir o cansaço e melhora o desempenho na prática de exercícios físicos
  • diminui o nível de stress (hormônio cortisol)
  • previne contra infecções, resfriados, gripes
  • mantém saudáveis os níveis de pressão arterial
  • melhora a memória e a capacidade cognitiva
  • reduz inflamações no cérebro

Sintomas e doenças que podem ser causadas ou agravadas pela deficiência de Vitamina D:

  • doenças cardiovasculares (hipertensão, infartos, derrames)
  • doenças autoimunes (lupus, esclerose múltipla)
  • asma em crianças
  • fraqueza muscular e óssea
  • osteoporose
  • depressão
  • diabetes
  • câncer
  • esquizofrenia
  • Doença de Parkinson
  • Doença de Alzheimer

Pessoas que mais precisam tomar cuidado com a falta de Vitamina D:

  • Idosos
  • Gestantes
  • Veganos e pessoas que não consomem ovos, peixes, leite
  • Pessoas com pele mais escura: amarelos, pardos, negros
  • Obesos
  • Pessoas com problemas renais ou intestinais

Como saber se tenho deficiência de Vitamina D?

  • Vá ao médico e ele solicitará um exame de sangue para medir a dosagem de vitamina D (25-hidroxi-vitamina D)

Como aumentar seus níveis de Vitamina D?

  • O meio mais eficaz: tomar sol por 20 minutos (sem filtro solar) regularmente, de preferência no horário do dia em que sua sombra fica do tamanho do seu corpo (8h30 – 9h, por exemplo, ou 9h30-10h durante o horário de verão)
  • Quanto mais roupa estiver cobrindo seu corpo na hora de tomar sol, mais tempo você precisará de exposição (por exemplo, 20min de maiô e 3h de bermuda e regata).
  • Não vale tomar sol através do vidro da janela ou do carro
  • Se estiver na praia, tome sol 20 min primeiro sem filtro solar e depois, enquanto estiver no sol, passe o filtro solar corretamente
  • Maior consumo de peixes como atum, salmão
  • Maior consumo de gemas de ovos e leite fortificado com vitamina D
  • Consumo de fígado de boi

Não deixe de falar sobre esse assunto na próxima visita ao médico!