Tag: reclamações

Medite? Eu não tenho tempo, eu não consigo!

tirinha_coelho

Você quer começar a meditar e não sabe por onde começar? Saiba que você não está sozinho e que começar é mais simples do que parece. A meditação é praticada há milênios, em diferentes culturas e religiões. Hoje a prática está mais amplamente disseminada e não é preciso seguir certas crenças espirituais/religiosas para aprender. O mais importante é a intenção de melhoria de cada indivíduo e a persistência em praticar.

Primeiramente, pra que meditar? Os benefícios são inúmeros e hoje são estudados e comprovados por pesquisadores e universidades renomadas. Alguns exemplos:

  • Melhora a memória de longo prazo, a concentração e o foco: você trabalha melhor, estuda melhor e obtém maior eficiência em suas atividades;
  • Melhora muito o sono e a disposição durante o dia;
  • Melhora o seu controle sobre as emoções no dia-a-dia. Meditar aprimora suas reações e atitudes no trabalho e nos relacionamentos. Ou seja, você passa a evitar perder a paciência com coisas pequenas ou no trânsito, por exemplo. Você passa a ter um nível de consciência e autocontrole diferentes.

Mas eu não consigo meditar, isso é para pessoas zen-namastê. Não, não é apenas para pessoas zen. Meditação é tão simples que qualquer pessoa pode fazer, até crianças pequenas fazem hoje em dia nas escolas. Veja bem, crianças são agitadas, certo? Então você também pode. Até grandes executivos/CEOs milionários, sem tempo para nada, fazem. Então por que parece impossível? Pode ser que você esteja pensando na meditação como prática monástica inalcançável – excesso de idealização. Para meditar você não precisa ficar em posição de lótus, raspar a cabeça, nem encontrar ambiente perfeito com som de pássaros. Não é preciso ficar 30 minutos em estado perfeito de vazio. Não é preciso fazer curso. Não existe “técnica perfeita”. Não é preciso “sentir coisas diferentes”, receber mensagens divinas, esvaziar tudo e ser perfeito.

Mas eu não tenho tempo! Muitas vezes tempo é questão de prioridades. Reflita: se você tem tempo para postar foto no Facebook, assistir série ou novela, mandar piadas no Whatsapp, você tem alguns minutinhos para meditar.

Mas então o que é preciso para meditar? Você precisa se comprometer a separar um tempinho do seu dia (pode começar com 1 min, 5 min) sem interrupções de telefone/celular/filhos, para parar. Parar. Sentar em silêncio. Respirar devagar. Desacelerar a mente. Tentar desligar-se dos pensamentos ou apenas observá-los. Existem muitas formas de praticar meditação, você pode escolher um mantra, uma visualização, uma música, uma sequência de inspirações/expirações focadas. O mais importante é inserir o hábito na rotina e praticar um pouco todos os dias. Algumas opções para começar:

  • Baixe um aplicativo de meditação para celular (tem vários para IOS/Android) como o Calm (clique aqui) e siga as orientações. Ou apenas ouça os sons relaxantes;
  • Vá a alguma palestra gratuita ou visite um templo ou centro de práticas meditativas (há várias opções gratuitas e para todos os gostos);
  • Se você gosta de criar um ambiente próprio, compre incenso, separe um espaço na varanda, no jardim, faça a prática virar um prazer, um conforto.

Dicas de sites e locais para aprender:

Mas eu não sinto diferença, acho que não estou fazendo certo. Nosso problema é que queremos resultados imediatos. Os efeitos nunca são rápidos, precisamos praticar, persistir e ter paciência. Você por acaso vai para a academia e no dia seguinte já está com a barriga tanquinho? E mesmo que você não consiga esvaziar muito a mente, só a prática de tentar parar por alguns minutos já vai ser um benefício inicial. Depois você vai aumentando  aos poucos a duração, experimentando novas formas de meditação, observando outros efeitos. O importante é decidir começar e criar o hábito. Você vai se surpreender com os efeitos sutis que vão surgindo. Conte-nos depois como foi o início da prática, boa meditação!

 

 

Losing an illusion

“Losing an illusion makes you wiser than finding a truth” (Zen quote)

[Perder uma ilusão traz mais sabedoria do que conhecer uma verdade] (Provérbio Zen)

“No budismo, diz-se que existem sete véus de ilusão. À medida em que cada um é eliminado, diz-se que a pessoa compreendeu mais um aspecto da verdadeira natureza da vida e do self. Erguer os véus fortalece a pessoa o suficiente para que aceite o significado da vida, para que desvende os padrões dos acontecimentos, dos seres e das coisas (…)” (do livro “Mulheres que correm com os lobos”)

É impressionante o quanto às vezes a gente é cego e tem pouca noção de como nós somos realmente. A gente consegue julgar todo mundo, consegue falar mal, se irritar com os defeitos dos outros. Mas às vezes demora mil anos para perceber que aquele defeito na verdade está em você mesmo. É tão fácil analisar o mundo. É tão fácil ficar acomodado no mesmo lugar achando que o mundo que está errado. Daí de repente, do nada, você para para  pensar, cai na real e toma um tapa na cara. E percebe que não é só o mundo que está estranho. É você que está preso num padrão antigo, num medo que você tem desde sempre. Você que tem que mudar, não o mundo. Você reclama, mas você mesmo gera aquilo que acontece com você.

“Você tem o poder de criar. Seu poder é tão grande que tudo aquilo em que você acredita torna-se realidade. Você cria a si mesmo, seja lá o que for que acredite ser.” (Don Miguel Ruiz)

Esta semana foi punk para mim. Perceber antigos traumas ou que você é um bicho esquisito é muito ruim. Mas ok, todo mundo é bicho esquisito. O que importa é que eu estou evoluindo. Ficar parado que não dá…

Fale mal…

“Give so much time to the improvement of yourself that you have no time to criticize others”. (Christian Larson)

Hoje vou escrever de algo que vem me incomodando profundamente. Já que me incomoda tanto melhor pôr pra fora né? Eu tenho uma tendência a me incomodar muito quando vejo pessoas falando mal ou com raiva de outras pessoas ou coisas. Mas no geral o “falar mal” feito de maneira leve, irônica ou bem humorada não me incomodam. Afinal, existem maneiras e maneiras para se expressar uma opinião. O que mais me incomoda é quando as pessoas destilam veneno, falam das pessoas/coisas com desprezo, com nojo, raiva, sem respeito, com agressividade. De modo geral a agressividade gratuita me irrita muito.

Eu sempre tive uma admiração muito grande por pessoas que conseguem manter um diálogo sem criticar de maneira destrutiva ou sem falar mal de qualquer coisa num certo espaço de tempo. Existem pessoas que são pura positividade e leveza: conseguem ser engraçadas, criativas e divertidas sem destruir agressivamente nada, sem ter que se sentir superior a nada. E mesmo quando brincam com o defeito ou erro de outra pessoa, é quando a pessoa está presente e tudo é levado no bom humor. Afinal, a gente tem mais é que rir de tudo…

Acho que na verdade o “falar mal” às vezes cria uma atmosfera esquisita, ruim. A maioria das pessoas acha besteira, mas eu me sinto mal. E sim, isso é um defeito meu, porque eu não tenho que ser influenciada pelo veneno alheio. Mas que a energia fica péssima, isso fica. Eu preciso aprender a parar de absorver as coisas de fora, tendência do mal essa.

Mas, enfim, as pessoas vão dizer que quando alguém fala alguma coisa está falando de si mesma blá, blá, blá. Acho que pode ser sim! Afinal a gente só destila coisas ruins para fora se no nosso interior as coisas estão sujas e feias. Quem tem caca nos olhos, só vê o mundo cacado. Quem tem beleza nos olhos, só vê a beleza do mundo. Quando você está com raiva de si mesmo, fica com raiva de todo mundo.

“O que vemos não é o que vemos, senão o que somos” (R. Alves).

Então, é isso, deixa eu parar de falar mal das pessoas que falam mal! Eu só desejo que o mundo seja mais leve e agradável. Dizem os astrólogos que os librianos têm esse problema, eles gostam das coisas bonitas e detestam coisas de mau gosto, feias e desagradáveis. Mas é só uma questão de bom senso. Abaixo vai um trecho de um preceito budista (acho que é zen), para completar. Desejo boas palavras para todo mundo.

6. Eu decido não falar sobre as falhas de outros, mas sim ser compreensivo e solidário.

Este preceito deriva de nossos esforços para construir harmonia social e compreensão mútua. Declarações falsas e maliciosas, por sua própria natureza, são atos de alienação que originam-se de uma percepção ilusória de oposição entre “eu” e “outros”. Geralmente a injúria traz como conseqüências a dor para os outros, e a fragmentação para a Sangha. Quando surgir a intenção de injuriar, esforçar-se para compreender as raízes deste impulso já uma expressão deste preceito. E mesmo quando uma afirmação difamatória é consistente com os fatos, aqueles que se engajarem em criticismo gratuito podem ser feridos pela influência negativa que resulta do ato de falar de forma insistente nas falhas de outras pessoas.


Argh

Aaargh! Hoje acordei exausta. É bizarro como os dias conseguem render tão pouco e eu me cansar com tudo. Eu já acordo pensando que vou chegar atrasada ade novo no trabalho e que se eu for embora às 19h as pessoas acham que isso é coisa de folgada, pq o negócio normal é trabalhar até às 21h. O negócio é respirar fundo e ir fazendo as coisas… Preciso fazer logo minha playlist “Painkiller”… porque só a música salva (e os tenshis também!) esses dias de cansaço bizarro. Acho que os amigos também salvam… às vezes uma palavrinha já dá mais ânimo para aguentar os carmas de todo dia.

Agora música do After Forever, que eu gosto muito…


I see your pain I see it grow
slowly inside you
You cannot control it
The hurting’s ruthless, you cannot win

I see every smile you fake
Strong emotion, strong devotion to ignore the pain
To stand strong

Day after day, to be there for us, always
To pretend there’s nothing wrong
How you feel or how it feels
No words describe it
Your body feels like a stranger
We cannot stop it, we cannot win

I see every smile you fake
Strong emotion, strong devotion to ignore the pain
To stand strong

I see every smile you fake
Strong emotion, strong devotion to ignore the pain
to stand strong

Every painful day, I’ll be there for you, always
And together we will stand strong

O tempo?

Coloquei esse texto sobre o tempo e em alguns aspectos gosto muito dele. É muito verdade que a gente se esconde atrás da desculpa do “não tenho tempo” para tudo. E sim, as pessoas adoram se sentir importantes.

Mas eu estava pensando que desde que mudei de casa e emprego eu não tenho sabido administrar meu tempo. Trabalhando até tarde todo dia eu costumo chegar mais ou menos umas 21h, às vezes 20h, mas não mais cedo que isso. E eu chego em casa com vários dilemas: lavo louça ou lavo roupa? cozinho ou passo roupa? arrumo a sala ou pago as contas no banco? procuro um plano de saúde ou procuro emprego? treino canto ou faço abdominais?

O resultado disso é que a casa anda bagunçada sempre, as roupas estão acumulando, eu estou sem plano de saúde, engordei uns 3 kg, mas dentro do possível tenho cozinhado sempre que dá, respondo e-mails, ouço música e treino algumas para cantar.

Quais são minhas prioridades hoje? Bom, acho que é (1) encontrar uma solução para minha vida profissional (arranjar um bom emprego e investir em outras coisas), (2) cuidar do meu namorido-amado, (3) tentar cuidar melhor dos amigos e família, (4) voltar aos estudos espirituais, (5) colocar a saúde em ordem.

Confesso que por enquanto só tenho gastado muuito tempo com a questão profissional. Muuita energia só nisso. Mas quem sabe se eu fizer uma agendinha e for disciplinada consigo arrumar essa bagunça? Alguém tem mais dicas? 😉

Transições

Infelizmente acho que não vou conseguir postar muitas coisas aqui por enquanto! São muitas novidades agora (o que é muito bom!), mas ainda estou aprendendo a lidar com todas as coisas novas. Casa nova, vida nova, trabalho novo. Além disso, ainda estou sem computador, tanto em casa, como no novo trabalho… Então tudo depende do meu Iphone, e definitivamente ele não resolve tooodos os problemas (mas ajuda um bocado!!).

Depois de todos os problemas com a Dell, a história toda alcançou um ápice: um sinistro! O caminhão foi roubado e meu notebook novinho foi embora. Mas enfim, Murphy é assim mesmo. Agora tenho que ter paciência.

Agora quero só colocar a cabeça no lugar, me cuidar, cuidar da casa, do meu amor, de tudo, sobreviver ao novo trabalho e a todos os workaholics. Socorro!