Coletor menstrual: já comprou o seu?

menstrual-cups-pic

O “não acredito” da vez é o coletor menstrual: não acredito que só conheci em 2015! Os primeiros foram feitos na década de 30 do século XX. Agora, para nossa felicidade, os coletores estão mais em alta (viva!).

Os coletores têm tantas vantagens que chega a ser sem sentido usar outra coisa hoje em dia. Vejam só:

  • muito mais econômico: um coletor pode ser usado por 5 anos ou mais, evitando a compra de pacotes infinitos de absorventes
  • pró meio ambiente: evita o descarte de toneladas de absorventes descartáveis mensalmente no meio ambiente, além do papel higiênico para enrolar o absorvente, ou saquinhos próprios
  • muito mais higiênico: o coletor não deixa cheiro nenhum, como acontece com os absorventes
  • mais prático: você pode carregar pra lá e pra cá em viagens, é pequeno, você pode praticar atividades físicas e usar até 12h
  • mais saudável: evita alergias e alterações na flora natural da vagina, não absorve a umidade natural, não causa irritações, não causa a síndrome do choque tóxico

Mas como nem tudo são flores, há alguns obstáculos/pontos fracos a serem vencidos:

  • é preciso ter paciência para aprender a usar corretamente nas primeiras vezes
  • algumas mulheres ainda têm receio de mexer no próprio corpo
  • é indicado higienizar o coletor com água e sabão nas trocas, o que requer tempo extra no banheiro, e também é indicado esterilizar o coletor a cada mês
  • algumas pessoas têm medo de perder a virgindade ou aprenderam que é “inapropriado” tocar no seu corpo

Bom, eu só vejo vantagens! Espero que mais mulheres se animem a conhecer e usar os coletores.

9547774864aeb7ad1abee958a0271b98

Anúncios

Vamos falar sobre Vitamina D

468376

Você sabia que grande parte da população mundial tem deficiência de vitamina D no organismo? Os números são tão altos que alguns médicos e pesquisadores falam em “epidemia”.

Por que a deficiência de vitamina D virou um problema de saúde mundial nos últimos 50 anos?

  • Aumento da população nas grandes cidades
  • Confinamento dentro das casas, escritórios e carros
  • Medo de exposição a crimes, poluição e sol
  • Excesso de tempo na frente da televisão, computadores, videogames
  • Maior ênfase na estética (preocupação com envelhecimento)
  • Influência da indústria cosmética, que busca aumentar as vendas de protetores solares e cosméticos
  • Falta de informação da população

Por que a Vitamina D é indispensável para a saúde?

  • é essencial para a formação dos ossos e dentes
  • é necessária para a absorção de outros nutrientes (como o cálcio, por exemplo)
  • ajuda a diminuir o cansaço e melhora o desempenho na prática de exercícios físicos
  • diminui o nível de stress (hormônio cortisol)
  • previne contra infecções, resfriados, gripes
  • mantém saudáveis os níveis de pressão arterial
  • melhora a memória e a capacidade cognitiva
  • reduz inflamações no cérebro

Sintomas e doenças que podem ser causadas ou agravadas pela deficiência de Vitamina D:

  • doenças cardiovasculares (hipertensão, infartos, derrames)
  • doenças autoimunes (lupus, esclerose múltipla)
  • asma em crianças
  • fraqueza muscular e óssea
  • osteoporose
  • depressão
  • diabetes
  • câncer
  • esquizofrenia
  • Doença de Parkinson
  • Doença de Alzheimer

Pessoas que mais precisam tomar cuidado com a falta de Vitamina D:

  • Idosos
  • Gestantes
  • Veganos e pessoas que não consomem ovos, peixes, leite
  • Pessoas com pele mais escura: amarelos, pardos, negros
  • Obesos
  • Pessoas com problemas renais ou intestinais

Como saber se tenho deficiência de Vitamina D?

  • Vá ao médico e ele solicitará um exame de sangue para medir a dosagem de vitamina D (25-hidroxi-vitamina D)

Como aumentar seus níveis de Vitamina D?

  • O meio mais eficaz: tomar sol por 20 minutos (sem filtro solar) regularmente, de preferência no horário do dia em que sua sombra fica do tamanho do seu corpo (8h30 – 9h, por exemplo, ou 9h30-10h durante o horário de verão)
  • Quanto mais roupa estiver cobrindo seu corpo na hora de tomar sol, mais tempo você precisará de exposição (por exemplo, 20min de maiô e 3h de bermuda e regata).
  • Não vale tomar sol através do vidro da janela ou do carro
  • Se estiver na praia, tome sol 20 min primeiro sem filtro solar e depois, enquanto estiver no sol, passe o filtro solar corretamente
  • Maior consumo de peixes como atum, salmão
  • Maior consumo de gemas de ovos e leite fortificado com vitamina D
  • Consumo de fígado de boi

Não deixe de falar sobre esse assunto na próxima visita ao médico!

Stress, ansiedade e depressão: o que a indústria farmacêutica não quer que você saiba

foto-2015-07-09-17-24-12-745187428779900-funflyship

Acho curioso como demorei 11 anos para encontrar e ler o livro do médico francês Dr. David Servan-Schreiber: Curar o stress, a ansiedade e a depressão sem medicamento nem psicanálise. Será que esse livro é pouco divulgado?

Ainda nem terminei de ler o livro, mas estou achando ótimo. Não li pensando em encontrar alguma novidade ou solução. Li mais pela curiosidade, porque vi críticas positivas. Mas veja bem: esse não é um livro de auto-ajuda e todos os métodos descritos têm eficácia baseada em artigos científicos. O problema é que são métodos tão simples que muitas vezes são menosprezados. As pessoas costumam acreditar mais em remédios caríssimos do que em métodos que parecem ter sido recomendados pela vovó. E não há interesse em expandir e dar subsídio a uma pesquisa científica de um método barato, simples e não patenteável. Além disso, que médico vai perder seu tempo escrevendo um artigo sobre “efeitos biológicos do amor” vs ” a eficácia de um novo medicamento” contra a depressão? Médicos têm que parecer sérios. Falar da importância de bichinhos de estimação e exercícios físicos para a saúde parece perda de tempo.

O mais curioso é que eu nem precisei testar nada para saber que os métodos do livro funcionam – pelo menos a maioria deles. Não precisei testar porque quando vi quais eram os métodos percebi que eu usava boa parte deles na época em que estava mais saudável e sem depressão. Já tomei alguns psicotrópicos, entre antidepressivos e ansiolíticos: fluoxetina (Prozac), sertralina (Zoloft), cloridrato de bupropiona (Bup), bromazepan (Lexotan), clonazepam (Rivotril) e agora estou no cloridrato de duloxetina (Velija). Já fiz 10 anos de psicanálise individual. Mas o engraçado é que a época em que estava mais feliz era aquela em que eu:

  1. Não tomava nenhum psicotrópico
  2. Fazia acupuntura regularmente (1x por semana ou mais)
  3. Fazia atividades físicas regularmente (no mínimo 3x por semana, no mínimo 1 hora)
  4. Cuidava de 2 gatinhos meus
  5. Tinha um grupo de amigos que encontrava regularmente
  6. Tinha práticas espirituais regulares individuais ou em grupo
  7. Praticava artes marciais e meditação
  8. Fazia psicanálise 1x por semana

E olhem que curioso: praticamente tudo que está aí nessa lista é considerado um método comprovado que contribui para o bom funcionamento do cérebro emocional e, portanto, para a cura do stress, depressão e ansiedade.

Se você tiver interesse, leia o livro, vale a pena. Alguns métodos como a coerência cardíaca e o EMDR eu não conheço ainda, mas vou testar. O livro fala também da sincronização do relógio biológico, da nutrição e de técnicas de comunicação afetiva (não li ainda).

O resumo é: não viva sua vida só em função do seu trabalho, achando que é uma perda de tempo rezar, meditar, fazer exercícios, encontrar amigos, adotar gatos e cachorros. Está comprovado pela medicina. Tudo isso que você deixa para depois e acha bobagem é o que te mantém vivo e saudável (mente e corpo).

Alegria em primeiro lugar

“Sabedoria é a arte de reconhecer e degustar a alegria”.

“A inteligência é a nossa capacidade de conhecer e manipular o mundo. Ela tem a ver com o poder. A sabedoria é a graça de saborear o mundo. Ela tem a ver com o amor”.

“É preciso muito pouco. A alegria está muito próxima. Mora no momento. Perdemos a alegria porque pensamos que ela virá no futuro, depois de algum evento portentoso que mudará nossa vida”.

(Rubem Alves)

Hoje terminei de ouvir uma entrevista do Hay House Summit com a Esther Hicks e achei muito, muito boa. É tanta informação (e ainda em inglês) que não deu para pegar tudo, mas fiz algumas anotações. Uma mensagem muito importante que ela passou (ou melhor, ela junto com Abraham) foi: coloque o foco na alegria. Segundo eles, as pessoas põem ênfase demais no crescimento/desenvolvimento e a alegria é mais importante. Nunca tinha pensado dessa maneira.

A conversa era sobre muitas coisas, sobre vida e morte, alinhamento com o universo e lei da atração (e eu que já estava com birra da história do “Segredo”… rs). Ela fala bastante da importância de nos alinharmos com o universo, em termos vibracionais.  E pensando nisso lembrei que as pessoas mais alegres (e engraçadas) que eu já conheci têm um puta alinhamento com o Universo. Nem sei se elas têm consciência disso, mas o bom humor e leveza delas costuma trazer coisas boas automaticamente, parece que a ligação com o Universo é muito próxima. É muito doido isso, mas é fato. E quem não adora estar próximo de pessoas alegres e que fazem a gente morrer de rir? Pois é, o Universo também rs. Pelo jeito essa é a frequência certa ^_^

Desejo muita, muita alegria para vocês. Muitos sorrisos, muitas risadas espontâneas (aquelas de doer a barriga).

buddha2 Laughing-Buddha

the devil inside e o que você deixou de viver

“The word devil is very beautiful, if you read it backwards it becomes lived. That which is lived becomes divine and that which is not lived becomes the devil” (Osho)

[Tradução: a palavra ‘devil’ (diabo) é muito bonita, pois se você ler de trás para frente, vai ter ‘lived‘ (vivido). Assim, aquilo que foi vivido torna-se divino e aquilo que não foi vivido torna-se diabólico“]

“Nós poderíamos ser muito melhores se não quiséssemos ser tão bons” (Freud)

“O que não enfrentamos em nós mesmos, encontraremos como destino” (C.G. Jung)

Acho essa frase do Osho muito boa. E ela sempre vem na minha cabeça. Tudo que você deixou de viver ou reprimiu realmente vai vir te assombrar em algum momento. Todo lado sombrio que está dentro de qualquer ser humano precisa ser conhecido, aceito e trabalhado. Tenho muita inveja das pessoas normais que foram aqueles adolescentes/jovens demônios chatos pra caramba, que batiam nas outras crianças, faziam bullying nos CDFs e gordinhos, queimavam patrimônio público, quebravam o vidro do vizinho, infernizavam o porteiro, fumavam maconha e bebiam até entrar em coma alcoolico, brigavam com os pais direto, contestavam a escola, os professores e os amigos.  Essas pessoas tornaram-se adultos mais saudáveis. Não precisam ter feito tudo isso, mas alguma parte disso já pode ter sido positivo. Saudáveis também aquelas pessoas que viveram meses ou anos na balada, pegando geral, traindo as namoradas ou namorados, se envolvendo em brigas, vomitando nos amigos, sendo expulso de festas, bares, parques. Saudáveis.

Um dia um moleque baladeiro aspirante a músico que conheci me falou (lá pelos meus 32 anos de idade, não faz tempo) que eu era uma pobre coitada, pois não tinha vivido nada na vida. Quando ouvi aquilo fiquei revoltada, porque pensei “Como assim? eu estudei, fiz faculdade, fiz mestrado, falo várias línguas, viajei um pouco. Como assim não vivi nada?”. Me revoltei mas na verdade ele tinha certa razão. De que valeu eu fazer uma faculdade que eu não gostei, um mestrado que na prática não serviu de nada, línguas que não uso? Para trabalhar infeliz, ficar depressiva, e depois desempregada, cheia de conflitos internos e agressividade descontrolada. Gastei toda minha adolescência e juventude fazendo aquilo que a sociedade e a família me ensinaram que era correto. Engoli seco todo bullying, pancadaria, gritos, críticas. E acabei deixando de pôr pra fora os sentimentos negativos e viver coisas que faziam parte da normalidade da adolescência/juventude.

Mas também, não sei o que eu queria. Eu queria por acaso que na escola houvesse matérias chamadas “por que é legal você ser um adolescente rebelde” ou “seja malvado e seja mais feliz”, “mergulhe na sombra com prazer”? Eu queria talvez que a cultura japonesa fosse menos repressiva, rígida e intolerante. Sim, isso eu queria.

Bom, o fato é que ninguém tem como entender o que se passa na vida alheia. Ninguém tem como entender os sentimentos – sombrios ou não, agressivos ou não – de outras pessoas, sejam elas familiares, maridos etc. Cada um tem sua mente louca e cheia de coisas vividas ou não vividas, sentimentos vividos ou reprimidos, vontades entendidas ou ignoradas, desejos sombrios ou bonitos. O sombrio ninguém nunca quer falar. Mamãe ensinou que não pode. A tia ensinou que não posso ser uma má menina. Papai disse que se eu for bonzinho vou ganhar um carrinho. A gente é adestrado a ser um bom animal-ser-humano, controlado, castrado, exemplar. Se você tem raiva ou desejos de morte ou de maldade, você tem problemas – óh! não vamos falar sobre isso. Isso, aqui me veio quele filme “precisamos falar sobre Kevin”.

Tá certo que tem gente que vive no lado sombrio 99% do tempo e daí já acho que também tem algo de errado. E também tem pessoas que viraram psicóticas, ok. Vide Norman Bates, menino psicótico que foi castrado, reprimido, controlado e manipulado pela mãe-neurótica-sofrida-apegada-manipuladora-louca. Aquela história de que tudo deve ter um equilíbrio ainda é verdade…  Só pensar no tao, no ying e yang… que é muito mais do que um símbolo para tatuar no braço ou pendurar no pescoço. É o que descreve aquilo que precisamos lembrar sempre: na natureza sempre temos essas forças opostas e complementares, que são interdependentes e totalmente conectadas. A luz e a sombra, o fogo e a água, o branco e o preto. Elas se completam e se equilibram. Uma não existe sem a outra e uma está dentro da outra.

E você, está consciente da sua luz e da sua sombra?

its-life

 

 

Prosperidade e o alinhamento com o universo

Acabei de ver um videozinho interessante e vou postar aqui. Entrevista com Rick Jarow, vejam abaixo. Eu até comprei o livro dele para ler no kindle, porque gostei bastante do que ele falou. Ele está falando exatamente sobre aquilo que eu senti nos últimos meses (ou seja, as coisas não funcionam do jeito que você quer, como dá a entender o “Segredo” e não basta desejar, visualizar e tchã-ran). Você precisa se abrir para entender e se alinhar com o universo.

Veja o livro dele aqui (sai mais barato comprar no kindle, a versão em português e em papel é o dobro)