Gratitude

Acho que eu preciso escrever um pouco, antes que eu perca a sensação boa que eu estou! O fato é que nos últimos dias eu tenho (como sempre) lutado igual uma maluca para mudar minhas tendências negativas. E tenho que confessar o quanto é difícil conseguir alterar pelo menos um pouquinho um padrão de comportamento e personalidade que você cultivou tantos anos.  É muito bizarro. Ia ser tão bom poder esvaziar o padrão, dar uma chacoalhada e de repente você está lá, novo em folha, sem vícios, sem tendências, sem rancores, sem passado. Mas daí a gente também ia apagar o passado bom né? Bom, ok, tudo bem que a gente chacoalha fora todo passado cada vez que nasce… isso já deve dar uma boa limpada. Mas e aí, o que fazer com os vícios que você tem desde que se conhece por gente? Como mudar??

Acho que tudo diz respeito a isso… trabalhar as virtudes, eliminar os vícios e os maus hábitos. Isso eu já vi em texto taoísta, budista, hinduísta, ‘new age’ e tudo mais. Esse é o caminho mesmo. Mas não tem fórmula fácil… Acho que é na porrada mesmo né?

Tem coisas que particularmente acabam ajudando. Por exemplo, pra mim, um dia bonito, um sol batendo nas árvores de manhãzinha, uma música boa e um livro bom me ajudam a dar uma limpeza na alma e ficar bem. Hoje foi um dia assim. No fundo eu adoro acordar cedo… só que tenho preguiça (ê, vício). Por isso admiro muito o Fausto, que consegue acordar cedo desde sempre todos os dias e, além de tudo, tem um otimismo e uma simplicidade que não existem por aí.

Outra coisa que ajudou foi o livro que estou ‘ouvindo’. Eat, pray, love. Não é o melhor livro do ano, mas é um livro que vale a pena ler. Adoro principalmente as descrições dos ‘personagens’ que surgem na viagem de Liz. No fundo, isso é uma coisa que adoraria fazer: rodar o mundo e conhecer pessoas diferentes e especiais, cada um do seu jeito. E quando ela descreve aquela mãe balinesa com as filhas eu fiquei passada. Como pode ter gente que sofre tanto, tão pobre, mas que luta tanto e tem tanto amor e bom humor? A menininha deve ser uma iluminada, eu fico pensando. E nós aqui reclamando da vida porque o ar condicionado tá muito frio ou porque a televisão só passa porcaria.

Bom, a sensação hoje é só essa mesmo… parar de reclamar e ter um pouco mais de humor e amor na vida… principalmente gratidão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s