Mês: maio 2010

Lado B

“Standing in the shadows of our lies to hide our imperfections…” (Delain)

“Prefiro ser íntegro a ser bom.” (C. G. Jung)

 

Anúncios

Expectativas…

“Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.
As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela. Temos que nos bastar… nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém. As pessoas não se precisam, elas se completam… não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida. Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você” (Mário Quintana).

“Não é útil esperar nada de ninguém mas é muito bom esperar algo de nós mesmos. Eles podem ser bons ou eles podem ser maus, não importa. O que importa é como lidamos com isso. E sempre será difícil porque se não fosse difícil não haveria o que aprender. Tentamos dez vezes e nada funciona. Quando conseguimos ocorre uma mudança na situação e outro teste vem. Esta é a brincadeira cósmica. Mas se nos desapegamos um pouco, o jogo se torna muito interessante.”

Bom, aí está um assunto para eu pensar muito e por muito tempo. Expectativas…

Eu tenho uma mania incrível de criar expectativas de todos os tipos com um monte de gente e um monte de situações. Eu idealizo situações, idealizo pessoas. Sonho que algo bonito e colorido vai acontecer do jeito que eu quero. Fico viajando achando que algo vai acontecer da maneira que EU faria, da maneira que EU gostaria que fosse. A verdade é que o seu EU é só seu e o seu jeito de reagir e fazer as coisas são só seus. Ninguém vai fazer igual e ninguém tem que adivinhar o que você espera. E ninguém tem a obrigação de ser gentil, educado, amoroso, respeitoso, amigo, correto, ético. Seria bom, mas é irreal.

E na verdade eu preciso parar de esperar que alguém venha entender o vazio ou a tristeza que eu sinto muitas vezes. Todo mundo tem limites. Amigos, famílias, estranhos. Por que será que a gente espera tanto de FORA e tão pouco de DENTRO? Reconhecer essas coisas de certa forma dói… mas faz parte do processo. O mundo colorido e idealizado que eu crio na minha cabeça louca realmente só existe na minha cabeça louca e eu vivo nele do jeito que der e transmito dele o que eu quiser. Se outros vão captar algo já é outra história. Não dá para esperar nada de ninguém.

E isso não é um tratado de desesperança, é meio que a tentativa de colocar os pés no chão e crescer um pouco em algo que é tão básico. E o legal disso tudo é que a partir do momento que você deixa de criar expectativas, você também abandona o medo. As coisas ficam mais naturais e mais leves. Todo mundo tem medo de se machucar nesse mundo, por isso todo mundo é frio, distante, se poupa do mundo e de tudo. Dá pra contar nos dedos as pessoas naturalmente entregues, espontâneas e sem medo de se abrir e viver.

Enfim, eu tenho um loongo caminho pela frente pra muita coisa, mas com esse post eu quero me convencer de que está na hora de pôr fim nas milhões de expectativas externas e ficar mais leve.