Mês: abril 2010

O Reflexo que Dói

“Álvaro de Campos tem um verso que diz mais ou menos assim: “Sou o intervalo entre o meu desejo e aquilo que os desejos dos outros fizeram de mim”. Intervalo, um espaço indefinido onde a minha verdade se perdeu, enfeitiçada pelo pedido dos outros. Os outros pedem que não sejamos o que somos; que sejamos só o que eles desejam. E ficamos sem rosto. Só máscaras. Cebolas sem cerne, só casca. O Diabo nos coloca entre o martelo e a bigorna e vai nos forçando a tomar decisões. Pode ser que, ao final, tenhamos a experiência suprema de horror. Quando, diante do espelho, não vemos rosto algum, apenas os rostos de outros. Acho que é por isto que todo mundo fala mal do Diabo: porque, além de ser ferreiro de martelo e bigorna, é também especialista em beleza, com espelho na mão. E o reflexo no espelho dói mais que o martelo na bigorna” (Rubem Alves)

MEGADETH!!

Sorry pelo caps lock, mas achei que fazia sentido. O show do Megadeth foi tão maravilhoso pra mim que não tenho muitas palavras. Eu sou fã deles desde a época do colégio e acho que fui em uns 3 shows deles antes. Um dos shows inclusive foi na noite anterior que eu prestei Fuvest em 1997. Acho eu… Eu estava no terceiro colegial (hoje não chama mais assim né?) e o show era no sábado à noite. Eu ia fazer a prova no domingo, mas eu precisava mesmo era ir no show… Então eu e minha irmã fomos e nossa mãe deu cobertura para que nosso pai não descobrisse. Falamos: “Pai, a gente vai no cinema e já volta!” (vestidas de preto…). Itterashaaaai! Ittekimaaasu! Fomos. E foi maravilhoso o show. E o melhor, eu passei na Fuvest. Isso foi em 1997.

Em 2008, o Megadeth veio de novo mas não consegui ir.

Dessa vez, com o aniversário de 20 anos do Rust in Peace, não podia deixar passar. “O quêeee? Eles vão tocar o Rust in Peace in-tei-ro? Aaaaah!!!” E valeu a pena…

Estou chegando aos 30 e ainda sou fascinada por Heavy Metal. Dizem que isso é coisa de adolescência, mas o que tem a ver? Menudo e New Kids on the Block são coisas de adolescente… heavy metal é igual música clássica, toca o coração oras, qual a diferença?

O silêncio, as conclusões e as dúvidas

“I pull you from your tower, take away your pain, show you all the beauty you possess, if you’d only let yourself believe” -Sarah Mclachlan

“A true friend stabs you in the front.” – Oscar Wilde

Eu estou para escrever sobre a amizade há bastante tempo… mas confesso que o assunto pra mim é difícil. Primeiro, confesso alguns erros: tenho uma tendência a sumir do mundo e ninguém nem entende por que, talvez só os mais próximos. Outro erro: tenho medo de me machucar e tenho medo de invadir o espaço do outro. E sei, de que adianta tanto medo se nós estamos fadados a nos machucar a qualquer momento? Amar, viver, criar, tentar, tudo isso obviamente pode machucar sim e bem feio. Quanto ao medo de invadir, isso talvez seja uma característica nipônica. Os nipônicos costumam ser cheios de dedos e cerimônia. Crescemos aprendendo que é polido nunca invadir, nunca falar, nunca perguntar. Aprendemos a tirar conclusões e a deixar os outros tirarem conclusões a nosso respeito. O silêncio é algo bem nipônico…

Mas hoje também tenho a impressão de que o silêncio é simplesmente a fuga, a maneira mais fácil de sair de uma situação ou de uma relação. Às vezes seu amigo até tem algo para lhe falar, mas não vai falar porque não sabe como. Então, a saída mais cômoda é o silêncio. Seu amigo ficou puto com você, mas não tem coragem de te falar que  você errou. Então, silêncio. E fuga. E fim da relação. Prático, assim.

Eu confesso que já errei dessa maneira muitas vezes. Mas hoje entendo como as falhas de comunicação são péssimas e não ajudam em nada. Silêncio e falta de sinceridade não ajudam em nada. Hoje em dia realmente é raro encontrar pessoas que tenham coragem de falar as coisas diretamente, com uma transparência admirável. Parece que as pessoas se descartam com uma facilidade bizarra. Até porque, todos dizem, as pessoas não têm tempo a perder. Se você tem uma esposa, um namorado ou um grupinho de amigos para beber, pra que você vai gastar seu tempo com outras pessoas? Quantas pessoas vivem SÓ em função do namorado/namorada?

Se você está lendo esse texto e está levando para o lado pessoal, não leve. Meu post não é para uma pessoa X, Y ou Z, pois estou brava sim, mas é comigo e com um mundo de coisas. A minha idéia é dizer que a sinceridade é uma grande virtude. E eu admiro muito meus amigos do coração que têm a coragem de dizer verdades e têm a ousadia de se comunicar, sem receios.

Aí eu termino com uma das frases que eu mais gosto:

“It is one of the severest tests of friendship to tell your friend his faults. So to love a man that you cannot bear to see a stain upon him, and to speak painful truth through loving words, that is friendship”.(Henry Ward Beecher)

Ópera Orfeu e Eurídice

Para quem gosta, estou divulgando!

Para quem não sabe, eu fazia parte do Coral da Cidade de São Paulo, que é um coral comunitário, que faz um trabalho lindíssimo em repertório erudito. O pessoal é super esforçado e eles estão sempre avançando. Morro de saudades, tanto de cantar lá como das pessoas (não das 80 pessoas, mas de algumas com certeza! rs).  Vai ter uma série de apresentações, no CEU Butantã e depois no Teatro São Pedro. Quem puder prestigiar, vale a pena. Orfeu e Eurídice é uma ópera linda. Mais informações: http://www.coralsp.org.br/opera/

Mais transições

“A paixão não é uma coisa que a gente possa encontrar saindo pelo mundo como um turista da vida (cf. Cristina). Pois não basta esbarrar na paixão; ainda é preciso encará-la quando ela se apresenta.” (Contardo Calligaris)

Olá, followers & friends! Ando meio ausente, mas creio que é porque estou em mais uma fase de transição e questionamento bizarro que me bloqueou um pouco. Mas questionamentos são sempre ótimos! Estou com mil idéias na cabeça e principalmente estou me sentindo mais livre. Weeeee! Estou gostando de tudo isso, mas o que eu tenho a dizer é só que a gente precisa relaxar mais na vida. Por exemplo, vão lá aproveitar o Spa Week. Ou, sei lá, vão num show ou concerto ouvir boa música (não dá pra dar a desculpa do $$, tem muita coisa gratuita). Relaaaaaaxe (como diria nosso amigo sumo). Desejo muita alegria e relaxamento pra vocês!

ps: agora, o que tem a ver essa citação acima com o post? bom, não dá tempo de explicar, montem vocês, aproveitem o que der.