Mês: outubro 2009

Stratovariusss!!!!!!! \m/

Afe, quase esqueci de falar do show do Stratovarius!! A última semana foi super ocupada porque segunda tive aula de canto até altas horas, terça teve o show, quarta fomos buscar os gatinhos e daí pra frente foi cuidar dos filhotes e encaixar as coisas!

Por algum motivo bizarro, o show do Stratovarius caiu novamente no dia 20 de outubro, em plena terça-feira. Quando eu ainda estava na faculdade eles vieram perto desse dia ou nesse dia e eu não fui no show deles (burra!!), fui no aniversário de uma colega do escritório, numa balada perto da Vila Olímpia se não me engano e na volta eu vi umas pessoas de preto na rua.

Enfim, o que eu tenho a dizer é que o Stratovarius ainda é uma banda maravilhosa, com músicos muito bons e clássicos absurdos que dão vontade de chorar. Eu confesso que nem ouvi direito o Polaris, fui na fé de ouvir as músicas antigas e acho que valeu a pena. Isso que eu e a minha sister perdemos umas 4 músicas do começo, mas ainda assim valeu. Ouvir ao vivo “Black Diamond” (aaaaa que arrepio aquele começo…), “Father Time”, “Twilight Symphony” e “Forever”  não tem preço. Aaaaaaaaaaa!! Muito bom.

E o Kotipelto ainda manda muito bem, o resto da banda então, nem se fala… que baixista f***, droga, qual será o nome dele? Mas enfim, esses shows maravilhosos lavam a alma e me fazem mais feliz do que nunca!!!

Praiaaaaa

 

DSCN1377
Picinguaba

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Última semana no trabalho… E estou sem idéias de posts por enquanto! Os gatinhos vão super bem, obrigada! Estão lindos, depois ponho mais fotos. Estou feliz. Falta organizar decentemente a vida! E está chegando dia 31 de outubro! Dia das bruxas lá no hemisfério norte, Beltaine por aqui. Dia de los muertos e tal. É um dia bem interessante. Enjoy!!

 

Cat Lovers

DSCN2513

Essa é a foto dos nossos novos gatinhos! Depois da triste experiência de tentar salvar gatinhos abandonados, que não passaram da primeira noite, mesmo com todos os cuidados, bolsa de água quente, mamadeira, leite especial, pinguim de pelúcia, nós acabamos adotando dois novos, que estavam na casa de uma amiga (também salvadora de gatos).  Eles não são irmãos na verdade, o que está na frente foi encontrado no parque Trianon, estava morando num poste de luz e foi atacado por outros gatos. Agora eles são a atração da casa! Uma gracinha. A minha alergia virou detalhe, a vontade de cuidar de dois filhotinhos falou bem mais alto. Quem está com a casa grande, sobrando espaço, morando sozinho ou então querendo dar uma animada na casa, criar companhia e mais brincadeira para as crianças, fica a sugestão de salvar bolinhas de pêlo! Não precisa comprar um video game ou um DVD 🙂

www.adoteumgatinho.com.br

“Pureza é o estado mais elevado da consciência humana. É quando consigo acessar minha natureza livre de qualquer influência ou artifício. É quando o mundo externo faz tudo para distrair minha atenção mas permaneço focado no meu estado original de plenitude. É quando retorno às águas límpidas da nascente, sempre que alguma circunstância lance seus poluentes nas águas do rio.”

Simplicidade Vs. Pobreza

“A expressão simplicidade voluntária deixa claro que ter uma vida mais simples é questão de escolha, de estarmos mais conscientes do que queremos, de quais são os propósitos da nossa vida. E esclarece: não se deve confundir simplicidade com pobreza. Simplicidade é escolha, pobreza não. Simplicidade tampouco tem a ver com negar a tecnologia afinal, ela é muito útil. E muito menos significa mudar-se para uma cabana na floresta. A idéia é simplificar a vida onde se está, com o que se tem – e a maior parte das pessoas que já fazem isso vive nas cidades”.

Mais um capítulo sobre a simplicidade e o material.  Quando o assunto é dinheiro, riqueza, simplicidade, materialismo, existem alguns preconceitos ou comportamentos típicos. (Eu só estou resumindo coisas que eu li e observei…)

1) “Sou classe média, quero ficar rico e feliz e trabalho feito um louco como funcionário”: esses são aqueles que o Alex cita no blog dele, ou os que estão na “corrida dos ratos” do livro Pai Rico, Pai Pobre. Seria algo como: tenho um emprego até bom, dependo do meu emprego, trabalho muito, gasto bastante para ser feliz, mas também quero ser rico e ganhar mais dinheiro, só não sei como, acho que é trabalhando muito. Esse pensamento teoricamente é o ciclo da corrida dos ratos, não é muito libertador.

2) “Não ganho muito, sou feliz assim, não vou ser rico e não gosto de falar de dinheiro”. Acho que este perfil talvez seja parecido com o da simplicidade voluntária, o problema está no “não gosto de falar de dinheiro”. Acho que isso pode ser algum preconceito ou negação. Se a gente não cuida das próprias finanças e não fala sobre elas, não estuda sobre dinheiro, como vamos administrar nossas contas da maneira mais prática e inteligente?! O problema disso é que o dinheiro acaba sendo desperdiçado ou mal gasto. Ou então poderia ser bem investido numa boa, mas não está.

3) “Não tenho muito, e também não acho que tenho o direito de ganhar muito dinheiro, não sou disso”. Isso parece uma simplicidade involuntária estranha. A pessoa acha que nunca vai ganhar dinheiro porque está destinada para ser simples, e não porque não quer ganhar mais. Ela é inteligente, estudou, mas ganhar dinheiro parece ser coisa de gente ruim e egoísta, então decide dizer que é pobre ou simples por opção.

Enfim, isso tudo está bem generalizado, mas o essencial está na citação lá no começo. Simplicidade não é pobreza e não é negar a importância do dinheiro, do trabalho, da tecnologia.

Simplicidade é só ser consciente das próprias prioridades e escolhas, sabendo cuidar bem dos seus próprios bens e sem ser prisioneiro de nada, seja do consumo, do vício, do emprego.

Para ser livre mesmo, eu acho que a gente precisaria estar com as contas e fluxo de caixa bem administrado, livre de vícios de compras, consciente do que é mais importante e correndo atrás dos nossos sonhos.


Cold

“I wonder when you have become so cold… so cold…” (Delain)

Uau, são mais de 2 da manhã e eu ainda não tomei vergonha pra ir dormir! Na verdade me empolguei ouvindo músicas e gravações do povo do “karaokê metal” rsrs. Eu adoro ouvir as pessoas cantando, sempre é gostoso ouvir um timbre bonito, uma música interpretada direitinho e tudo mais… ou nem precisa ser direitinho.

Estou me empolgando demais com esse blog, deveria escrever menos. Mas eu imagino que isso seja falta de botar as coisas pra fora, falta de falar, desabafar, encher o saco dos amigos… Hoje de repente me deu uma carência, uma falta das pessoas queridas. Acho que eu me tornei uma pessoa muito isolada do mundo. Não sei se o povo em geral está cada um no seu canto, cuidando da sua vida, sua família, seus amores. Mas eu tenho a impressão de que até hoje não aprendi a deixar de ser distante e ilhada. Às vezes bate uma tristeza… Sei lá, tenho vontade de ficar acordada até altas horas divagando sobre a vida e falando besteiras, mas uma coisa sem tumulto, sem ser superficial. Argh, sei lá. Só sei que o mundo deveria ser feito de mais momentos próximos, sinceros, abertos, inspirados, e sem hora pra acabar.