Mês: maio 2009

The world I know

“and I laugh at myself as the tears roll down… ‘Cause it’s the world I know”. (Collective Soul)

Argh! Poucas vezes eu fico mega emputecida na vida. Eu sou ingênua e boba demais para ficar furiosa e sair chutando todo mundo. Fora que eu sempre achei horrível pessoas putas, berrando como loucas. Deve ser meu impulso pacífico libriano, que eu definitivamente preciso eliminar.

Cansei. Essa lição da vez acho que eu entendi. Chega.

Eu tive meus altos e baixos de fé na humanidade, muitos mesmos. Muitas decepções, muitas alegrias, muitas surpresas. A verdade que eu encontro é sempre a mesma. Todo mundo tem um lado irresistivelmente belo e outro totalmente disgusting. Esperar qualquer coisa diferente disso e da imperfeição das pessoas é muita ingenuidade e burrice mesmo.

E só agora que eu entendo. Ser legal não ajuda em nada. É preciso ser muito neutro em todas as ocasiões e só se mostrar de verdade para quem for realmente digno de confiança e simplicidade, humanidade.

Eu acredito ainda nas coisas boas, na amizade, no amor fraternal, etc etc, mas isso tudo precisa ficar bem guardado para os lugares e pessoas certas. É uma questão de filtro e de bom senso. Continuo desejando “que a paz reine em toda terra e em cada ser”. Mas agora vou realmente brigar com as pessoas e ser mais louca.

Anúncios

Excesso

Sempre me senti isolado nessas reuniões sociais: o excesso de gente impede de ver as pessoas. (Mário Quintana)

Não tenho tido muitas idéias para posts, mas achei essa frase que uma amiga querida me mandou num ppt e achei que tinha tudo a ver com o que eu sinto. Eu adoraria me sentir ótima nessas festas gigantes e tumultuadas, cheeias de gente. Mas em geral eu me sinto estranha e adoro reuniões caseiras pequenas, com poucas pessoas, pouco barulho, mais proximidade, mais carinho, menos superficialidade. Quando há muita gente reunida, as pessoas usam mais máscara ou mudam de comportamento. Às vezes as pessoas se esforçam demais para aparecer e falar coisas superficiais. Tem o aspecto divertido, dá para dar muita risada, ouvir todo tipo de besteira e ver um lado bizarro das pessoas. Mas por outro lado, algumas pessoas nunca se mostram de verdade, você nunca consegue conhecê-las como elas são. E as pessoas ficam escondendo seus medos, seus sentimentos… Enfim, eu estou no meu período super metal, mas tenho que confessar que adoro estar num ambiente aconchegante com algumas pessoas próximas e abertas, sinceras, simples e muito queridas.

Voltando

Hoje passei a tarde toda pintando e achei muito divertido! Amanhã tem mais! Não sei se vou sair logo da operação casulo, mas aos poucos sinto que isso vai melhorar. Hoje eu estou alegre com um monte de coisas, sinto que as coisas estão progredindo. Agora falta eu ainda vencer o sedentarismo e a peoplefobia… Mas a prioridade é cuidar de todos os detalhes da mudança. Nada como voltar pra casa com as mãos cheias de tinta lilás e branca!

A Mudança

Andei sumida, mas resolvi escrever um pouquinho. A falta de computador decente com conexão decente me deixam com preguiça de escrever posts! Mas o meu plano é estar logo com um computador novo e uma nova conexão na nossa nova casa!! yeah!! Aí eu vou poder responder meus e-mails decentemente, escrever e fazer tudo que eu tenho preguiça de fazer no Iphone…

Estou sumida também porque estou entretida com a reforma e as mudanças todas! Mudanças sempre são boas. E eu estou me divertindo bastante em pensar em cuidar de tudo… estou feliz. Estou enclausurada e longe do mundo mas aos poucos eu volto.

Quando tenho tempo sobrando acabo curtindo minhas férias. Tem feito uns dias lindos de sol! Ultimamente a diversão tem sido assistir um monte de sex and the city, passear, assistir dvds, namorar e fazer nada! Quando dá também aproveito para treinar canto. Essa mania não sai de mim então eu tenho que me conformar que eu quero aprender a cantar e gosto de cantar e pronto. Minha banda ainda não saiu, mas ela ainda sai. As pessoas andam mega enroladas e ocupadas e já há um excesso de vocalistas mulheres empolgadas por aí né. Mas as coisas se encaixam. Cada coisa no seu tempo. O que importa é que eu estou muito feliz! E estou feliz de estar feliz com o meu amor.

SuperMetal Peoplefobia

Uau, isso poderia ser o nome da minha banda de metal!! Quem conhece os 5 elementos chineses e as minhas loucuras deve entender o título desse post. Estou de férias e ando meio esquisita, muito metal, antecipando o inverno e a hibernação. E na verdade é um momento contraditório. Não, na verdade, eu sou super contraditória.

Eu tenho um amor enorme por artes, música, dança, diversão, palco e tudo mais. Deve ser o sol em libra, a lua em touro, o ascendente em sagitário e whatever. Mas ao mesmo tempo eu sou “totally metal”, tenho tendência a me recolher e ficar trancada no quarto, ouvindo música, lendo um livro, tudo que me faça estar longe da multidão. A pressão de ser perfeita, impecável me deixou meio maluca. A japonesice também me trouxe efeitos colaterais. As japonesinhas tradicionais devem ser ainda mais impecáveis, rir baixo, olhar para baixo, serem discretas e invisíveis.

Que coisa horrível… acho que é por isso que eu ando lendo Osho. As pessoas têm um mega preconceito dele, mas tenho que admitir que ele tem textos muito bons. Em alguns momentos me lembra a simplicidade e a beleza de Rubem Alves, em outros, o tal do poder o agora do Eckart Tolle. Enfim, é a sabedoria básica que nós todos deveríamos ter mas não estamos acostumados… Ser livre, ser simples, ter coragem de ser qualquer coisa, viver o momento, viver a eternidade, não ter preconceitos e frescuras, não ter apego, não usar máscaras. A gente sabe o que deveria fazer, mas vive fazendo o que não deve.

Calamidade

A maior calamidade que pode acontecer a uma pessoa é ela ficar séria e prática demais. Um pouquinho de loucura e de excentricidade só faz bem.

(Osho)